domingo, 28 de julho de 2013

Meu Malvado Favorito 2



Título original: Despicable Me 2
Título no Brasil: Meu malvado favorito 2
Gênero: Animação
Direção: Chris Renaud, Pierre Coffin
Roteiro: Cinco Paul, Ken Daurio
Elenco: Andre Robinson, April Winchell, Bailey Gambertoglio, Benjamin Bratt, Dana Gaier, Elsie Kate Fisher, Jan Rabson, Ken Jeong, Kristen Wiig, Miranda Cosgrove, Moises Arias, Nasim Pedrad, Russell Brand, Steve Carell, Steve Coogan
Produção: Christopher Meledandri, Janet Healy
Duração: 98 min.
Ano: 2013
País: Estados Unidos
Classificação: Livre


Gru mudou radicalmente sua vida e agora seu negócio é se dedicar as filhotas Agnes, Edith e Margo, deixando de lado os tempos de vilão. Ele só não contava que seu passado de "ladrão da Lua" pudesse falar mais alto e ser responsável pelo seu recrutamento, através da AVL (Liga Anti-Vilões), para salvar o mundo na companhia da adorável agente Lucy. Juntos, eles precisam localizar o criminoso que roubou a fórmula PX41, e Gru desconfia que um antigo "concorrente", chamado El Macho possa ser o responsável por essa maldade. Para completar os problemas, o parceiro Dr. Nefário resolve abandoná-lo, colocando em risco o bom humor dos hilários Minions.


Opinião
O que a paternidade não faz com uma pessoa, não é mesmo? Depois que Agnes, Margo e Edith entraram de vez em sua vida, o supervilão Gru, responsável por façanhas como o roubo da lua, agora é um cara de família, cujas preocupações são zelar pelo bem-estar das pequenas e desenvolver uma nova linha de geléias e gelatinas. No entanto, essa tranquilidade familiar não dura muito, com Gru sendo convocado para ajudar a Liga Antivilões na investigação do desaparecimento de um produto químico perigoso.

A vida não está nada fácil para Gru: não consegue acertar na fórmula das geléias, tem problemas para lidar com a adolescência de Margo, que não desgruda do celular e começa a se interessar por garotos, tenta driblar os encontros amorosos desastrosos armados pelas filhas e pela vizinha, e, ainda por cima, perde um companheiro de trabalho de longa data: Dr. Nefário, que pede demissão por sentir falta dos antigos planos mirabolantes de domínio do mundo.

A convocação para trabalhar com a Liga Antivilões parece, então, um oportuno retorno à ação. Em sua missão, Gru tem como parceira a divertida Lucy, grande lutadora e espiã, embora um pouco atrapalhada. Durante a investigação, surge um suspeito que é velho conhecido de Gru: o maligno El Macho.

A adoção das garotas e todas as mudanças resultantes na vida de Gru o fizeram crescer como personagem e como “ser humano”. Ele é uma pessoa melhor por causa das filhas e tenta se adaptar à nova realidade. Não enfrenta mais grandes perigos, não realiza mais invenções grandiosas, não tem aspirações inatingíveis, mas nem por isso sua tarefa é mais simples. Pelo contrário, criar 3 crianças se mostra a coisa mais difícil que ele já teve que fazer. E é essa humanidade o grande trunfo do filme: um cara que deixa de ser vilão (ou herói) para ser pai.

Os personagens dessa nova aventura também colaboram muito para o bom funcionamento do filme. Lucy é o complemento perfeito de Gru e o ajuda não apenas em campo. Eduardo, o dono do restaurante mexicano, é uma figura. A dublagem feita por Sidney Magal caiu como uma luva no gorducho dançarino. Os minions ganham importância na história e estão mais engraçados que nunca. Literalmente, chorei de rir nas canções que essas criaturinhas apresentam no fim do filme.


É um filme sensacional! Pela falta de apelação que nele existe. Há muita doçura e amor. Gru, não é pai somente das três meninas, é também paizão dos Mínions, que a cada cena vão nos tomando e ao final queremos levar todos pra casa!
É um filme que recomendo sem pensar duas vezes para todos. Afinal, não há limite de idade para se emocionar.
Retrata o carinho, a sensibilidade e a amorosidade.
DEMAIS! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário